Notícias

Página Inicial Notícia Lista Notícia

TCE-MS incentiva doação de sangue entre os servidores

03/07/2017 Tania Sother Hemosul

A campanha “Doe a quem doar” que começou nesta segunda-feira, dia 3 de julho e segue até o próximo dia 7, é uma parceria do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul com o Hemosul.  A iniciativa é inédita e partiu do Escritório de Inovação e Modernização da DGM a fim de incentivar a doação voluntária entre os servidores.

Thayná Nogueira Morais, servidora que trabalha no Escritório, explicou que “na maioria das vezes, as pessoas procuram o Hemosul para fazer uma doação só quando têm alguém próximo precisando do sangue. E nós queremos provocar uma mudança de comportamento. Queremos que os nossos servidores se habituem a uma doação voluntária e rotineira”.

As doações deverão ser feita no próprio Hemosul, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, 1304. Todos os servidores que compareceram à unidade para fazer a doação, e entregarem o atestado de doação do Departamento de Gestão de Pessoas do Tribunal de Contas, receberão um dia de folga no trabalho.

Em cada doação são coletados aproximadamente 450 ml de sangue, menos do que 10% do volume sanguíneo total de um adulto e o organismo repõe sem necessidade de qualquer medicamento. O plasma é reposto em algumas horas, as plaquetas se restabelecem em alguns dias, e as hemácias demoram algum meses. Todo o material utilizado é estéril, de uso único e descartável.

Os doadores precisam ter entre 16 e 69 anos e o menor de idade tem que estar acompanhado de pai ou mãe ou responsável legal. A primeira doação somente pode ser feita até 60 anos. Acima desta idade, apenas para quem já é doador de sangue.

Embora a nova lei permita a doação de pessoas abaixo de 50 quilos, a Rede Hemosul-MS, aceita apenas doadores com 55 quilos ou mais, para a melhor utilização do sangue coletado e segurança do doador. Os homens podem doar até quatro vezes ao ano, com um intervalo mínimo de dois meses. Mulheres podem doar até três vezes ao ano, com um intervalo mínimo de três meses. Após os 60 anos tanto homens como mulheres devem obedecer o intervalo mínimo de seis meses.

Todo sangue coletado é submetido a exames de tipagem sanguínea, sorologia para hepatites B e C, doença de chagas, sífilis, HIV (vírus da Aids) e HTLV. Se algum resultado der alterado, o doador receberá no endereço cadastrado uma correspondência solicitando o seu comparecimento para receber orientação médica e coletar nova amostra de sangue.

Para fazer a doação, a pessoa deve estar bem alimentada.