Notícias

Página Inicial Notícia Lista Notícia

Atuação da Auditoria no Âmbito do TCE-MS é tema de palestra para novos Auditores

26/01/2018 Silvia Constantino Fábio Pinheiro

Encerrando a semana do Curso de Formação dos Auditores Estaduais de Controle Externo, que teve inicio no dia 10/01/2018. O Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul (TCE-MS), traz em discussão a Atuação da Auditoria no Âmbito do TCE-MS. Os Novos Auditores puderam conhecer qual o papel exercido pelos Auditores Substitutos de Conselheiros.

A palestra foi proferida pelos Auditores Substitutos de Conselheiros, Drª. Patrícia Sarmento e Dr. Célio de Lima, que apresentaram a origem do cargo de Auditor, suas prerrogativas e suas atribuições de acordo com o que está estabelecido na Constituição Federal de 1988.
 
 
De acordo com a Drª. Patrícia Sarmento, são duas as atribuições que compete aos Auditores Substitutos de Conselheiros. “A primeira atribuição é a ordinária na qual emitimos pareceres das contas de governo, contas de gestão e recursos dessas classes processuais, e a extraordinária que é quando substituímos os Conselheiros em sua ausência ou por haver algum impedimento legal” afirma.
 
 
Completando neste ano 100 anos de criação, o cargo de Auditor Substituto de Conselheiro ocupa um papel fundamental na conjuntura do Tribunal de Contas. “O Auditor Substituto contribui diretamente para eficácia do controle externo. Apresentar o trabalho desenvolvido por nós Auditores Substitutos, é a oportunidade dos novos servidores terem o primeiro contato com as atividades desenvolvidas”, afirma Dr. Célio de Lima, enfatizando que a troca de informações é uma via de mão dupla, na qual todos ganham mais experiência e conhecimento.
 
 
O Auditor de Controle Externo exerce um papel de extrema relevância no processo de fiscalização das Contas Públicas, lidando diretamente com o envio de documentações das prestações de contas dos gestores públicos.
 
Com a intensificação da Corte de Contas pela fiscalização concomitante, o Auditor passa a ter  contado direto com o jurisdicionado, ou seja, uma relação que precisa estar pautada dentro da ética e da moralidade. E foi dentro desse contexto que o TCE-MS trouxe em discussão na programação do curso de capacitação o curso “Ética do Auditor no Controle Externo”.
  
O curso foi ministrado pelo Auditor Estadual de Controle Externo  e  Presidente da Comissão  Permanente de Licitação, Herbert Covre Lino Simão,  que pontuou a relevância para discussão do tema. “O conhecimento do Código de Ética do TCE-MS, pelos novos auditores de Controle Externo, constitui um importante passo para o bom desempenho das atividades no âmbito da instituição, consolidando uma sólida formação técnica, com observância do princípio da moralidade administrativa, previsto na Constituição Federal”. Conclui  Herbet.